CHERNOBYL

Cogumelos estão crescendo dentro do reator de Chernobyl, eles são capazes de ‘comer’ radiação

07/20/2020
Você sabia que existem espécies de fungos capazes de usar radiação para produzir energia?

Esses fungos intrigaram os pesquisadores desde 1991, quando enviaram um robô pilotado remotamente para as salas misteriosas da usina nuclear abandonada de Chernobyl.

Na ocasião, eles notaram a presença de vários fungos que cresciam nas paredes do reator nuclear nº 4 e que, aparentemente, estavam destruindo a grafite radioativa. Os cogumelos também pareciam se desenvolver em direção a fontes de radiação, como se atraídos por eles.

Vários anos depois, em 2007, a professora Ekaterina Dadachova, da Universidade de Saskatchewan, juntamente com sua equipe estudou alguns espécimes Cladosporium sphaerospermum, Cryptococcus neoformans e Wangiella dermatitidis , três espécies de fungos presentes no reator, descobrindo sua capacidade de crescer mais rapidamente em ambientes ricos em radiação em comparação com outras espécies de cogumelos.

As três espécies tinham em comum o fato de possuir grandes quantidades de melanina, o pigmento que também é encontrado em nossa pele para protegê-la da radiação solar. A melanina é de fato conhecida por sua capacidade de absorver luz e dissipar a radiação ultravioleta.

Os pesquisadores descobriram que a melanina presente nos fungos era capaz de absorver a radiação nuclear e convertê-la em energia química útil para o seu crescimento, talvez de forma semelhante ao que acontece nas plantas, que usam clorofila para obter energia no processo de fotossíntese.

Os cogumelos de Chernobyl não são as únicas espécies vivendo de amor pela radiação nuclear: na verdade, essa característica também foi encontrada em outras espécies altamente melanizadas encontradas nos primeiros depósitos do período cretáceo.

Isso levanta uma possibilidade intrigante: pode haver lugares no universo colonizados por organismos ricos em melanina, capazes de prosperar em ambientes altamente radioativos.

Para saber mais sobre os cogumelos Chernobyl, pesquisadores do Laboratório de Propulsão a Jato enviaram oito espécies coletadas da área para a Estação Espacial Internacional (ISS) em 2016, para observar seu comportamento. De fato, o ambiente da ISS expõe os seres humanos a radiação entre 40 e 80 vezes maior do que os presentes na Terra. Os resultados desse experimento ainda não foram publicados.
A esperança dos pesquisadores é conseguir obter moléculas úteis dos cogumelos a serem dadas aos astronautas para protegê-los da radiação à qual eles são expostos durante as missões.

De qualquer forma, é interessante saber que onde quer que haja energia, a vida é capaz de encontrar uma maneira de usá-la.

Fonte: https://www.greenme.it/informarsi/natura-a-biodiversita/funghi-di-chernobyl/?fbclid=IwAR1qhQW5_jr-pLc4p_eM-z8B1gY56HwvvnCEKFDgj7KmZNd5mKY1OYjdUb8

Comments are closed.